MOÇAMBIQUE ELEITO PARA SEGUNDA AVALIAÇÃO DO MARP

Nacional
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

Moçambique manifestou este sábado, em Addis Abeba, Etiópia, a sua prontidão para avançar para a segunda avaliação do Mecanismo Africano de Revisão de Pares, MARP.A manifestação foi expressa pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, que participou,

na capital etíope, na reunião do Mecanismo Africano de Revisão de Pares a nível de líderes africanos.
O encontro acontece à margem da 30ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da União Africana que arranca este domingo na sede desta organização continental.
Filipe Nyusi, que desembarcou na tarde deste sábado, em Addis Abeba, informou aos seus pares que o país está em condições de entrar na segunda avaliação do Mecanismo Africano de Revisão de Pares, isto porque conseguiu cumprir todas as etapas da primeira avaliação.
Entretanto, o Presidente do MARP –Moçambique, Lourenço do Rosário, disse à imprensa moçambicana aqui em Addis Abeba que apesar da eleição do país para a segunda avaliação, ainda há desafios por ultrapassar.
Presidente do MARP –Moçambique, Lourenço do Rosário, e a eleição de Moçambique para a segunda avaliação a nível do Mecanismo Africano de Revisão de Pares.
O MARP, instituído a quinze anos pela União Africana, destina-se a escrutinar os países que a ele se submetem voluntariamente nos capítulos da governação corporativa, desenvolvimento socioeconómico e questões transversais, como pobreza e desigualdades, bem como a ligação entre partidos, Governo e negócios.
Aderiram ao MARP mais de trinta países, sendo a Gâmbia a mais recente adesão.
Até hoje foram avaliados vinte países, incluindo Moçambique que aderiu voluntariamente ao Mecanismo em 2003.

 

Fonte:da Redação e Por RM
Reditado para:Noticias do Stop 2018