OPTIMISMO NA CAMPANHA DE COMERCIALIZAÇÃO DE CASTANHA DE CAJU

OPTIMISMO NA CAMPANHA DE COMERCIALIZAÇÃO DE CASTANHA DE CAJU

Zambézia
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

A província da Zambézia comercializou mais de quinze mil toneladas de castanha de caju, desde Outubro até a primeira quinzena deste mês.A quantidade representa noventa por cento da meta da Província.


Apesar de estarmos na última quinzena da campanha de comercialização de castanha de caju na Zambézia, o delegado do Instituto de Fomento do Caju (INCAJU) nesta província Ilídio Bacar acredita que a meta será alcançada. A fonte observou que a província registou uma boa produção não obstante os factores climatéricos adversos.
Na Zambézia, pouco mais de trezentos mil agricultores do sector familiar dedicam se à produção de castanha de caju, sobretudo nos distritos de Pebane, Gilé, Alto-Molócuè, Ile, Maganja da Costa, Namarrói, Namacurra, Nicoadala, Mulevala e Mocubela.
Calcula-se que nestes distritos, os agricultores do sector familiar obtiveram no global uma renda de mais de mil milhões de meticais pela comercialização da castanha de caju, explica Ilídio Bacar.
ABasso Dini, comerciante em Pebane, afirmou por seu turno que o preço de castanha de caju, na campanha de comercialização que esta prestes a terminar, chegou a custar oitenta meticais por quilograma, junto do produtor tendo baixado agora para 50 meticais.

 

Fonte:da Redação e Por RM
Reditado para:Noticias do Stop 2018