Província do Niassa

sua capital é Lichinga e as etnias mais representantes são os macuas

Viagem
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

A província do Niassa limita-se a norte pela Tanzânia, através do rio Rovuma, a sulficam as províncias de Nampula e Zambézia, a este por cabo Delgado e a oeste o Malawi, através do lago do Niassa.

 

 

A sua capital é Lichinga e as etnias mais representantes são os macuas, ajua e nianja. Já agora, saiba que, em chinyanja, Niassa significa lago.

 

Só para ter uma visualização da distância, Niassa está a 2.800 Km de Maputo. E, apesar de ser a maior do país é a que tem menor densidade populacional (6 habitantes por m2). E nunca se conseguiu desenvolver como as regiões costeiras. Contudo, no período pré colonial, a nível do comércio regional regional e internacional, era uma importante fonte no abastecimento do marfim. Diz-se ainda que foi a última rota de Livingstone.

 

Niassa ficou conhecido como a província esquecida de Moçambique, talvez por ser longínqua. Mas, na realidade, quem ali chega pasma-se perante a sua beleza natural com lago e as montanhas.

 

A população produz, essencialmente, algodão, milho, feijão, batata reno, batata doce, sorgo, madeiras e pedras semi-preciosas.

 

 

As estradas são duras e pode ter de passar por várias queimadas e percorrer quilómetros sem ver vivalma. Porém, a grandiosidade da natureza compensa tudo isto. Daí que o turismo possa ser a sua porta de entrada para uma economia mais abundante. Afinal, o lago Niassa é um reduto imperdível.