Bernie Ecclestone, chefe da F1, vê com bons olhos filho de Schumacher na categoria

Mick Schumacher começará a competir na F3 Europeia pela equipe Prema, na qual passaram outros jovens talentos como Max Verstappen. Piloto quer seguir mesmos passos do pai para ser um campeão

Fórmula 1
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

Mick Schumacher começará a competir na F3 Europeia pela equipe Prema, na qual passaram outros jovens talentos como Max Verstappen. Piloto quer seguir mesmos passos do pai para ser um campeão.O chefe da Fórmula 1 Bernie Ecclestone encara com

bastante otimismo o possível retorno do sobrenome Schumacher à categoria. Ciente de que o fato ajudaria a promover ainda mais o esporte, o dirigente acredita que Mick Schumacher, filho do heptacampeão mundial Michael Schumacher, está no caminho certo para que um dia ele possa, enfim, se juntar aos melhores pilotos do mundo.

Mick foi vice-campeão na F4 alemã e italiana na temporada passada. Agora em 2017 ele irá estrear na F3 Europeia pela equipe Prema, por onde passaram outras jovens promessas que estão atualmente na Fórmula 1, como Max Verstappen, Esteban Ocon e o substituto de Felipe Massa na Williams, Lance Stroll.

“Do ponto de vista do profissionalismo, a F3 é mais um passo na direção da F1. Tudo fica mais próximo e torna as coisas mais difíceis. Mas eu quero o que todo piloto quer: ser campeão mundial da Fórmula 1”, disse Mick.

Já Bernie Ecclestone não impôs barreiras para o herdeiro do ex-piloto que marcou época com a Ferrari e ainda hoje é considerado um dos maiores pilotos da Fórmula 1, senão o melhor. “Se ele for mais ou menos bom como o pai, então por que não? Seria bom para a F1 se o nome Schumacher estivesse conosco novamente”, declarou em entrevista ao jornal Bild.

 

 

 

 

 

Fonte:Gazeta Press

Reditado para:Noticias do Stop 2016

Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP