Má nutrição continua a matar no Bié

Angola
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

Cento e cinquenta e uma pessoas morreram na província angolana do Bié devido à má nutrição, de acordo com dados registados pelas autoridades sanitárias locais nos Centros Nutricionais Terapêuticos instalados na região. 

Segundo o diretor provincial da Saúde no Bié, João Cacungula, as mortes foram registadas entre os 2.020 novos casos notificados no ano passado. 

O responsável, citado hoje pela agência noticiosa angolana, Angop, avançou que estes números, quer de casos, quer de mortes, indicam uma redução, comparativamente a 2015, ano em que foram registadas menos 22 mortes e menos 99 casos de má nutrição. 

João Cacungula frisou que 729 doentes registaram melhorias, 150 abandonaram o tratamento, enquanto 56 foram transferidos para unidades de saúde de referência. 

O diretor provincial de Saúde do Bié avançou que os nove municípios dispõem de unidades especializadas para atendimento de casos de má nutrição, salientando que a formação de quadros de vigilância nutricional em todas as comunidades, ações de sensibilização e aconselhamento, sobretudo às mães que amamentam, têm contribuído para a redução do número de casos e da mortalidade.

 

 

 

 

 

Fonte:Angonoticias

Reditado para:Noticias do Stop 2017