12
Qua., Dez.
17 New Articles

DELEGAÇÃO DO FMI VEM A MOÇAMBIQUE AVALIAR O IMPACTO DA DIVIDA

Carlos Agostinho do Rosário falava esta terça-feira a jornalistas

Divida
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

O Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho do Rosário, reafirmou que uma delegação do Fundo Monetário Internacional, FMI, chega, dentro de dias, ao país, para avaliar o impacto da dívida pública moçambicana.

 

Carlos Agostinho do Rosário falava esta terça-feira a jornalistas, em Maputo, na abertura da Assembleia-Geral da Organização Cooperativista da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, CPLP.

O Primeiro-Ministro sublinhou que o país tem condições de caminhar com firmeza rumo ao desenvolvimento, sendo, este, o momento de esquecer o passado.

Sobre a reunião dos cooperativistas da CPLP, Carlos Agostinho do Rosário afirmou que as cooperativas constituem um espaço para o exercício da cidadania e mecanismo gerador de impacto directo na melhoria das condições de vida das comunidades.

O governante moçambicano frisou que as cooperativas, principalmente as envolvidas em actividades agrárias, de artesanato e culturais têm um tratamento fiscal preferencial no país.

Carlos Agostinho do Rosário falava na abertura da Assembleia-Geral da Organização Cooperativista dos países da CPLP, que decorre em Maputo.

 

 

 

Fonte:Rm.co.mz

Reditado por: Stop Noticias 2016