Trump e Putin concordam com solução política para Síria

Declaração conjunta demonstra que EUA e Rússia, adversários históricos, chegaram a um consenso sobre o conflito

Asia Ocidental
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

O presidente norte-americano, Donald Trump, e o russo, Vladimir Putin, anunciaram neste sábado (11) que continuarão lutando contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) e que concordaram com uma solução política para a guerra na Síria.

A declaração conjunta, divulgada pelo Kremlin, demonstra que EUA e Rússia, adversários históricos, chegaram a um consenso sobre o conflito sírio. Trump e Putin tiveram uma rápida conversa no Vietnã, durante a cúpula da Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (Apec). Mas o Kremlin disse que a declaração sobre a Síria foi coordenada pelo ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, e pelo secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson.

p>De acordo com a imprensa russa, Putin e Trump concordaram em encontrar uma solução política, e não militar, para a guerra na Síria, iniciada em 2011, após a Primavera Árabe. Os líderes ressaltaram a importância de proteger a "soberania, a independência e a integridade territorial do país". Eles também pediram aos Estados-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) para aumentarem seus esforços humanitários na Síria nos próximos meses. 

Início

Desde o inicio da guerra na Síria, os EUA apoiam a destituição do ditador Bashar al-Assad. Já a Rússia defende a manutenção de líder. Portanto, neste ponto é onde há maior divergência entre Moscou e Washington. Mas os dois países lideraram coalizões nos últimos anos contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI), que mantinha zonas dominadas na Síria e no Iraque. Há poucos dias, as forças sírias anunciaram a retomada da cidade de Abukamal, último bastião do EI na região. 

 

 

Fonte:da Redação e Por band.uol.com.br
Reditado para:Noticias do Stop 2017
Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP/Estadão