Bombardeios em Aleppo deixam dez mortos e 25 feridos

Aleppo: a ONG não descartou que o número de mortos aumente porque há pessoas gravemente feridas

Asia Ocidental
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

Beirute - Pelo menos dez pessoas morreram nesta segunda-feira e outras 25 ficaram feridas por bombardeios de aviões que pareciam ser russos na cidade de Aleppo, a maior do norte da Síria, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

 

As vítimas morreram após os ataques aéreos no bairro Aslahiya, em Aleppo.

A ONG não descartou que o número de mortos aumente porque há pessoas gravemente feridas.

Os aviões também tiveram como alvo outras partes de Aleppo como os distritos de Al Sukari, Al Helik e Sheikh Said, assim como uma base de grupos rebeldes em Ain al Tal.

O Exército sírio, em cooperação com a força aérea russa, desenvolve há uma semana uma ofensiva no norte da província de Aleppo para recuperar o controle de várias áreas em mãos de seus oponentes.

Esta operação militar originou o deslocamento de dezenas de milhares de pessoas à fronteira com a Turquia, que não lhes deixa entrar em seu território, embora tenha iniciado a construção de dois campos de refugiados temporários dentro da Síria.

Por outro lado, o Observatório afirmou que pelo menos três pessoas faleceram hoje, entre eles uma mulher, e outras dez ficaram feridas pela queda de quatro projéteis na população de Al Qardaha e seus arredores, de onde procede a família do presidente sírio, Bashar al Assad.

Al Qardaha fica na província litorânea de Latakia, uma das principais fortificações do regime sírio, onde atualmente há combates entre as forças governamentais e facções armadas opositoras em sua metade setentrional. 

 

 

 

 

 

Fornecido por: Da EFE 2016 ( STOP )