CAN2019 inicia hoje com Egipto à procura do sétimo título

CAN2019 inicia hoje com Egipto à procura do sétimo título

Futebol
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

O CAN2019 em futebol arranca esta sexta-feira (21) com o anfitrião Egipto, de Mohamed Salah, à procura do sétimo título, perante outros grandes do futebol continental como o Senegal, Mali, os Camarões e a Nigéria. Os egípcios, seis vezes campeões

continentais, duas vezes na condição de anfitriões (1986 e 2006), foram finalistas na última edição, perdida para os Camarões, em prova decorrida no Gabão, em 2017.
Mohamed Salah, avançado e principal "figura" do Liverpool, da primeira liga Inglesa, é o nome mais sonante de um conjunto que tem ainda à disposição dois jogadores bem conhecidos, o médio Aly Ghazal e o avançado Hassan. No Grupo A, os "faraós" que não vencem desde a conquista do "tri" em Angola, em 2010, terão a concorrência da República Democrática do Congo, do Uganda e Zimbabwe, este último adversário na estreia, na cidade do Cairo, às 21 horas.

Contudo, o lote de favoritos é extensivo a outras selecções, com destaque para o Senegal, que no último mundial teve o melhor desempenho entre as cinco equipas africanas, ainda assim insuficiente para lhe garantir a passagem aos oitavos-de-final. A melhor selecção africana no Ranking da FIFA (22.º lugar) é liderada por outra estrela do Liverpool, Sadio Mané. O favoritismo no Grupo C é indicutível, ainda que tenha a Argélia em seu caminho.
Tanzânia e Quénia estão destinados a um papel secundário neste grupo (C), sucedendo o mesmo com a Guiné - Conacri e os estreantes Burundi e Madagáscar no Grupo B, onde também intégra a Nigéria. As "super-águias", três vezes campeãs africanas, a última em 2013, pretendem igualmente recuperar o ceptro e, mesmo não tendo a qualidade individual de outrora, parecem destinadas a serem líderes do agrupamento.

Com Moussa Marega, Sacko e Abdoulaye Diaby, o Mali é outro conjunto emergente que procura o primeiro troféu africano, após ter sido finalista em 1972. No Grupo E, os malianos vão medir forças com a Tunísia, campeã em 2004, Angola e a estreante Mauritânia, enquanto no Grupo F, o favoritismo é dos Camarões, vencedores de cinco edições e os detentores do troféu, conquistado em 2017.

Sem o avançado do FC Porto Vincent Aboubakar, os camaroneses dispõem de Joel Tagueu, num grupo em que podem discutir a liderança com o Ghana (vencedor em 1963, 1965, 1978 e 1982), perante a oposição de Guiné-Bissau e Benim.
O Grupo D terá como principais candidatos a Côte d'Ivoire, campeã por duas vezes (1992 e 2015) e Marrocos, vencedor da competição em 1976 e que tem alguns nomes de peso no plantel às ordens de Hervé Renard, como Hakim Ziyech (Ajax da Holanda). África do Sul, vencedor em 1996, e Namíbia, que vai participar pela terceira vez, são as outras formações inseridas no agrupamento (D).

O CAN2019, que conta pela primeira vez com 24 selecções, contra às 16 habituais, qualifica para os oitavos-de-final os dois primeiros classificados de cada um dos seis grupos, tal como os quatro melhores terceiros colocados.
A 32.ª edição da Taça das Nações Africanas vai decorrer no Egipto, entre 21 de Junho e 19 de Julho.
Composição dos grupos:
Grupo A: Egipto, República Democrática do Congo, Uganda e Zimbabué
Grupo B: Nigéria, Guiné - Conacri, Madagáscar e Burundi
Grupo C: Senegal, Argélia, Quénia e Tanzânia
Grupo D: Marrocos, Costa do Marfim, África do Sul e Namíbia
Grupo E: Angola, Tunísia, Mali e Mauritânia
Grupo F: Camarões, Ghana, Benim e Guiné-Bissau


Fonte:da Redação e com angonoticias
Reeditado para:Noticias do Stop 2019
Receba diariamente o STOP em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para +258 827606348 para receber notícias diariamente em seu celular
Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP/Estadão