21
Dom., Jul.
0 New Articles

Pesquisa mostra que maconha melhora visão noturna

Erva pode ser usada futuramente para ajudar a tratar doenças de retina

Bio & Medicina
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

Cientistas do Instituto Neurológico de Montreal, no Canadá, decidiram investigar a fundo alguns relatos populares que sugerem que a maconha melhora a visão humana em lugares onde a luz é mínima. 

Para isso, os pesquisadores trabalharam com girinos (como são chamados larvas de anfíbios, como o sapo), aplicando uma substância sintética da maconha no tecido de seus olhos. Um acompanhamento das células da retina dos animais também foi realizado. 

Os cientistas descobriram então que substâncias da erva, que se prenderam a receptores do nervo óptico dos girinos estudados, diminuíram a concentração de cloretos nas células de retina. 

O resultado disso foi uma sensibilidade à luz maior para os olhos dos animais que, na teoria, enxergariam melhor em lugares com iluminação ruim. Para comprovar isso, um teste foi feito: girinos sob efeito da erva foram colocados em um recipiente junto com animais que não tinha nada acrescentado no tecido dos olhos. 

Os pesquisadores acrescentaram, então, pontos pretos que os animais reconheciam como possíveis predadores e, portanto, algo que deveriam manter distância. Com a luz ligada durante o experimento, todos os animais mantinham-se longe dos pontos pretos. 

Com a luz desligada, porém, apenas os girinos sob efeito de maconha continuavam nadando longe dos pontos. Os girinos que não tiveram contato com a erva frequentemente esbarravam nos pontos que deveriam ser evitados. 

Para os cientistas, isso pode indicar um possível uso da maconha para tratar doenças de retina. Nos Estados Unidos, vale lembrar, alguns médicos já recomendam seu uso medicinal em alguns casos de glaucoma. 

 

 

 

 

 

Fonte:Reuters

Reditado para:Noticias Stop 2016

Fotografias:Getty Images / Reuters /EFE