Polícia brasileira desmantela grupo que lavava dinheiro com criptomoedas

Polícia brasileira desmantela grupo que lavava dinheiro com criptomoedas

CriptoMoedas
Tools
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

A Polícia Federal brasileira desencadeou a Operação Código Reverso para desmantelamento de um grupo de cibercriminosos com ligações internacionais, que infectava computadores para conseguir aceder a contas bancárias para realização de transferências

e pagamentos ilícitos.
Nesta operação gigantesca estiveram envolvidos mais de 100 policiais que empunhavam 43 mandados (sete de prisão preventiva, um de prisão temporária, 11 de intimação e 24 de busca e apreensão) em quatro estados brasileiros: Tocantins, São Paulo, Goiás e Pernambuco. O saldo da operação quedou-se por seis pessoas detidas enquanto e duas continuam a monte.
Conforme declarações da polícia, só nos últimos 9 meses, os cibercriminosos conseguiram gerar prejuízos na ordem dos 10 milhões de reais recorrendo à viciação de mecanismos de segurança dos bancos para realizar suas operações fraudulentas.
Com vida faustosa, sustentada pelas atividades da prática ilícita e com recurso a empresas de fachada para ocultar a origem do património. Grande parte dos roubos foram convertidos em criptomoedas, operação que as autoridades brasileiras classificam de lavagem de dinheiro.
Este grupo de cibercriminosos foi também procurado por empresários suspeitos para obter vantagens comerciais ilícitas sobre a concorrência, além de receber descontos na fuga aos impostos, pagamentos de contas e realização de compras por meio dos pagamentos indevidos realizados pelo grupo. Estes empresários são agora procurados pela polícia.


Fonte:da Redação e Por maistecnologia
Reditado para:Noticias do Stop 2018