Esta é a primeira cidade a banir a mineração de criptomoedas – saiba porquê

Esta é a primeira cidade a banir a mineração de criptomoedas – saiba porquê

CriptoMoedas
Tools
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

A cidade de Plattsburgh, nos EUA, tornou-se a primeira cidade a banir por lei a mineração de criptocurrências. Esta proibição será válida para os próximos 18 meses. A assembleia da cidade votou de forma unânime a imposição da proibição devido aos

efeitos que a mineração de criptomoedas está a ter na rede publica de electricidade.
A cidade de Plattsburgh era conhecida por a eletricidade mais barata do país. Os residentes costumavam pagar 4,5 cêntimos por killowat à hora, comparado à média de 10 cêntimos no resto do país. A cidade também dava um incentivo ao estabelecimento de empresas, que apenas pagavam 2 cêntimos por killowat-hora.
Estas condições levaram a que muitas companhias e indivíduos se instalassem em Plattsburgh para minerar. A mineração de criptomoedas consome muita electricidade, e portanto quanto mais barata for a electricidade, maior os lucros obtidos a partir da mineração.
O problema é que esta enchente de mineradores levou a uma situação sem precedente na cidade: um aumento tão brutal no consumo total de energia eléctrica consumida que o limite de alocação de energia eléctrica foi largamente ultrapassado durante o último mês. Isto levou a que a cidade tivesse que adquirir mais energia no mercado livre a um custo muito superior ao habitual. Assim, os preços de electricidade subiram igualmente de forma sem precedentes, com muita contestação popular associada.
Nesta sequência, a cidade decidiu tornar-se pioneira ao banir a mineração de criptomoedas por 18 meses.

 

 

Fonte:da Redação e Por maistecnologia
Reditado para:Noticias do Stop 2018
Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP/Estadão