19
Sex., Ago.
0 New Articles

TENSÃO MILITAR AGRAVA PREÇOS DE PRODUTOS ALIMENTARES EM QUELIMANE

Zambézia
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times
AplicLoja Windows 11 Pro

A Tensão político –militar agrava preços de alguns produtos alimentares na cidade de Quelimane, na Zambézia, segundo depoimentos de agentes económicos informais.

 

Um saco de Cinquenta Quilogramas de milho que em Abril custava Oitocentos meticais, hoje, custa Mil Seiscentos meticais, representando uma subida na ordem de cem por cento.

Alguns comerciantes informais abordados pela Rádio Moçambique esta sexta-feira afirmaram que para além da tensão político - militar o agravamento do preço de milho, em Quelimane deve se também a fraca produção deste cereal, na Zambézia, na presente campanha agrícola devido a estiagem.

O milho a venda em Quelimane é proveniente dos distritos de Morrumbala, Milange, Lugela, e do norte da Província.

Na Zambézia a tensão político- militar, regista–se sobretudo em Murrotone no Distrito de Mocuba, na media Zambézia e zero e Morrumbala, no sul da Província, regiões são atravessadas pela estrada nacional número 1.

Entretanto, os consumidores estão preocupados com o agravamento do preço de milho, na cidade de Quelimane. O milho é um dos cereais mais consumidos na capital provincial da Zambézia, seguindo – se o arroz.

Domingos Sousa, abordado pela Rádio Moçambique no mercado de Brandão em Quelimane, disse que a subida do preço do milho, deixa os consumidores sem alternativa.

O preço do Coco sofreu também um agravamento, em cerca de cinco meticais, passando a custar actualmente na cidade de Quelimane entre Doze a Quinze meticais por unidade.

Devido a doença do amarelecimento letal do coqueiro que dizimou milhares de palmeiras, agora parte do coco a venda em Quelimane é proveniente de Inhambane. 

 

 

 

 

 

 

Fonte:Rm.co.mz

Reditado por:Noticias Stop 2016

AplicLoja Microsoft Office 2022 Pro Plus