Novo ranking da ATP não tem Federer ou Nadal no top 4; Brasileiros sobem

Assim como Rafael Nadal, suíço Roger Federer não está entre os quatro primeiros no ranking da ATP

Tennis
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

O fim da temporada de 2016 marca, também, o fim de uma hegemonia duradoura no tênis. Com o novo ranking da ATP, nem Roger Federer nem Rafael Nadal aparecem entre os quatro melhores tenistas do mundo, coisa que não acontecia desde 2003.

Após cair nas quartas de final do ATP 500 de Pequim, o espanhol foi para a quinta colocação da lista, enquanto Federer segue na sétima colocação, sem torneios para disputar no ano.

Novak Djokovic segue na primeira colocação com boa vantagem para Andy Murray. Nesta terça-feira, Djoko começa a defender seu título do Masters 1000 de Xangai contra o italiano Fabio Fognini (50º). Murray, por sua vez, estreia contra o estadunidense Steve Johnson (24º).

Além do sérvio e do britânico, o suíço Stan Wawrinka aparece na terceira colocação e Kei Nishikori, japonês, agora é o quarto – igualando a melhor marca da carreira, conquistada, também, em 2015. Wawrinka fará sua estreia em Xangai contra Kyle Edmund (48º), da África do Sul, e Nishikori não irá participar do torneio. Nadal irá enfrentar Vitor Troicki (31º), da Sérvia.

Campeão do ATP 500 de Tóquio, Nick Kyrgios subiu da 15ª para a 14ª colocação, ultrapassando o espanhol David Ferrer. Derrotado na final do ATP de Pequim por Murray, o búlgaro Grigor Dimitrov ultrapassou Roberto Bautista Agut e Pablo Cuevas para chegar à 18ª posição.

Melhor brasileiro na lista da ATP, Thomaz Bellucci subiu dois postos e agora é o 65º. No fim de semana, Bellucci perdeu para Lukas Rosol (94º), da República Tcheca, e não se classificou para o Masters de Xangai. Thiago Monteiro também ultrapassou dois adversários e chegou à 88ª colocação.

Após cair na semifinal de Challenger de Campinas, Rogerinho Dutra perdeu três posições e foi para a 107ª posição. João Souza, o Feijão, se manteve em 118º e Guilherme Clezar foi para 214º.

Na lista feminina, o top 3 não sofreu alterações. Angelique Kerber, alemã campeã de dois Grand Slams no ano, segue em primeiro, com a estadunidense Serena Williams logo em seguida e a polonesa Agniezska Radwanska, campeã do WTA de Pequim, na terceira colocação.

Campeã de Roland Garros em 2016, a espanhola Garbiñe Muguruza não conseguiu mais resultados positivos e, após chegar à segunda colocação do ranking, agora ocupa o sexto posto. Simona Halep (Romênia) assumiu a quarta colocação e Karolina Pliskova (República Tcheca), a quinta.

 

Na segunda metade do top 10, muitas mudanças. Keys Madison (EUA) pulou da 9ª para a 7ª colocação, ultrapassando Svetlana Kuznetsova (Rússia). Johanna Konta (Austrália), vice-campeã em Pequim, entrou no top 10, na nona colocação. Dominika Cibulkova (Eslováquia) é a décima. Uma importante mudança também ocorreu para o Brasil no ranking feminino. Teliana Pereira, em queda vertiginosa na lista da WTA, caiu mais 24 posições, chegou ao número 185 e agora não é mais a melhor brasileira na lista. Paula Gonçalves, na 166ª colocação, assumiu o posto.

 

Pelo ranking de duplas, Marcelo melo – que caiu na semifinal do ATP de Pequim – caiu para a quinta colocação. Bruno Soares agora é o melhor brasileiro na lista, em quarto, e seu parceiro Jamie Murray pulou para a terceira colocação. Melo poderá perder ainda mais pontos, já que agora defenderá seu título no Masters 1000 de Xangai.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte:GAZETA PRESS

Reditado para:Noticias Stop 2016

Fotografias:Getty Images / Reuters /EFE